nevaliscatheme por nevalisca, dtlhs bombasticdesign
O problema de saber as coisas, é que você não pode esquecer nunca mais.
Salem.
Corri como um louco em direção ao meu quarto, esperançoso de que houvesse sobrado um pouco de vinho naquela enorme jarra sobre a mesa. Não acreditava, porém, que fosse ter essa sorte, porque represento como ninguém um certo tipo de pessoa: tomada por uma vasta depressão, por meditações infrutíferas e desejos reprimidos.
Charles Bukowski. 
Primeiro, você sente muito. Depois, você sente falta. Quando percebe, você sente mais nada.
Tati Bernardi 
As pessoas certas aparecem em nossas vidas. Para que a gente aprenda, para que a gente cresça, para que a gente ensine. É uma troca bonita e enriquecedora. Preciso confessar a quantidade de coisas que aprendi com você. Sem falar na quantidade de coisas que aprendi sobre mim.
Clarissa Corrêa.   
Se apaixone por si mesmo, por que algum dia você será o único que você terá.
Paramore.  
Eu escrevi no espelho para que minhas palavras fossem o reflexo de minha dor.
Otávio L. Azevedo 
O mal do século é a solidão, cada um de nós imerso em sua própria arrogância, esperando por um pouco de afeição.
Legião Urbana 
Conhecemos um homem pelo seu riso; se na primeira vez que o encontramos ele ri de maneira agradável, o íntimo é excelente.
Fiodor Dostoievski.
Você coloca seus braços ao meu redor e eu me sinto em casa.
— Arms  

Lembra

Lembra o tempo
em que você sentia

e sentir
era a forma
mais sábia de saber

E você nem sabia?

Alice Ruiz

Os dias nublados tomaram conta do pouco de luz que sobrava e a solidão se abrigou na minha vida. Eu estava fraco demais para tentar alguma coisa, principalmente em me aventurar nesse mar de incertezas em busca de redenção.
Ciceero M & Acrescentada.  
Puxei assunto, ele não respondeu.
Phe em Diário de um Ignorado. 
Talvez eu saiba, em algum lugar
No fundo da minha alma
Que o amor nunca dura
E temos que arranjar outros meios
De seguir em frente sozinhos
Ou ficar com uma cara boa.
Paramore.
Admito Moço. Tenho chorado todos os fins de noite. Um choro atípico, silencioso, constante. Chorei por me permitir ser tão fraco, ridículo e idiota. Chorei, chorei e chorei como se fossem as ultimas lagrimas, chorei como se fosse a ultima dor. Chorei porque já não aguentava mais essa solidão sentada aqui no meu peito - que por mais que eu insistisse ela estava a me perseguir - quase me matando todas as noites Moço. Chorei porque já não aguentava mais usar todas aquelas mascaras e disfarces por trás do meu ser - que de fato era necessário. É como se eu tivesse uma mascara pra cada dia da semana, e um temperamento a cada fase lunar. Hoje eu chorei. Chorei em luto ao meu eu que insiste em sair, mas eu o proíbo. Esse meu eu que insiste em sair mas eu sou esperto, eu só o deixo sair em noites frias, quando todos já estão a dormir. O meu eu não pode se libertar moço. O meu eu me reduziria à pó nesse mundo. O meu eu não é daqui.
Resquícios de um trouxa fadado a solidão.  
Da essência à cor
Do amor à dor
Pra você: a flor.
— Nathália Rizzo.